10 dicas para um portfólio melhor!

10 dicas para um portfólio melhor!

“[…] Na construção da aprendizagem mostro o que sei, o que sou, o que penso e como cresci. Não é preciso decorar. É necessário aprender. Construir aprendizagem é fazer acontecer a aprendizagem. É a interação do que sei com o novo. É o que realmente irá ficar, é o que fará mudar. É significativo. Não se constrói aprendizagem de maneira passiva, acomodada. Para construir é preciso ousar, fundamentar e fazer acontecer. Entrelaçar teoria e prática num único processo, não fragmentando os saberes.” Cleide Regina Oliveira

Na citação acima, percebe-se a notória importância de se aplicar à prática o conhecimento apreendido em cursos no geral. Na área da Economia Criativa, isto se torna ainda mais importante, uma vez que o portfólio é usado como ferramenta principal para a demonstração do potencial e habilidades dos profissionais. Um caso memorável foi a negociação entre Steve Jobs e o designer Paul Rand, no qual Jobs solicitou os serviços do designer, porém, pediu que ele fizesse primeiro umas amostras, antes mesmo de contratá-lo. A resposta de Rand foi lendária e foi citada por Jobs durante uma entrevista na década de 90:

Não. Eu resolverei o seu problema. E você me pagará. E você não precisa usar a solução. Se quiser opções, vá conversar com outras pessoas. Mas eu resolverei seu problema da melhor maneira que sei fazer. E você pode usar ou não. Cabe a você decidir. Você é o cliente. Mas você me paga”.

Portanto, no mercado um bom portfólio é uma ótima estratégia para ser angariado pelas empresas. Elaboramos umas dicas para que você torne seu documento de apresentação, isto é, seu portfólio, de destaque perante outros profissionais da área. Começando pelas dicas mais simples até chegar às mais elaboradas:

  1. Começando pelo mais óbvio: Uma plataforma online de qualidade

Para que não seja necessário que você seja ou se torne um mago da programação ou gastar uma grana com investimento em um domínio, o mais indicado seja escolher sites que forneçam um template já pronto, porém, com opções de estruturá-lo e modificá-lo ao seu gosto. Essa é a vantagem de expor os trabalhos na web. Mas antes de tudo, tenha o critério de organização espacial dos trabalhos como orientação na hora de escolher a plataforma. Não é uma regra absoluta, mas é indicado que não hospede as criações em somente um lugar.

Temos exemplos clássicos como DevianArt, Flickr, Tumblr, dentre outros blogs, que apesar de serem ótimos na divulgação de projetos em andamento, sketches e referências, são desvantajosos no quesito organização. Uma boa opção é ir além desses modelos e publicar em sites como Behance, carbonmade, cargo collective, dentre outros, onde há a separação por temas, classificação de projetos e customização de interface. Todos os citados são gratuitos, porém, existem alternativas pagas como o Krop ($9,99 ao mês), o Photshelter ($9,99 ao mês) e o Smugmug ($39,95 ao ano), este último é voltado principalmente às rendas baseadas na fotografia.

  1. Tenha estilo

1- FOTOGRAFE COM CARINHO: Se você mesmo fotografa seus trabalhos para colocar no portfólio, faça sempre a melhor foto possível.

2- SEJA SELETIVO: Selecione cuidadosamente os trabalhos que coloca no portfólio. Conte uma história e ordene seus projetos de forma que se complementem, nem que, para isso, seja preciso remover um trabalho antigo.

3- DEIXE-O FÁCIL DE ATUALIZAR: A facilidade de atualização é um dos aspectos mais importantes de um portfólio online. Não adianta nada ter o site mais bonito do mundo se o conteúdo mais recente foi adicionado há cinco anos…

4- DÊ PERSONALIDADE: Se você tem dificuldade de realizar atualizações frequentes, não se preocupe em incluir apenas trabalhos finalizados. Deixe que as pessoas vejam no que está trabalhando, ou o que fez nas últimas semanas. Só tenha o cuidado para que essas postagens não virem um tipo de diário.

5- TENHA UM PROPÓSITO: Pense no objetivo de seu portfólio. Se quiser receber feedbacks, mostre diferentes aplicações de um design e explique um pouco sobre o processo de criação. Isso encoraja os visitantes a opinar.

6- AGRADE VÁRIOS GOSTOS: Nem sempre o trabalho que um cliente mais gostou será o seu favorito. Por isso, mostre também imagens de que não gosta muito, afinal sempre há a chance de elas agradarem a alguém.

7- CONTEXTUALIZE O TRABALHO: Um dos maiores desafios de um designer é encontrar a maneira correta de mostrar impressos na web. Versões digitais ajudam, mas a fotografia é a melhor forma de mostrar este tipo de objeto. Exiba seus designs como queira que sejam vistos.

8- PROMOVA O QUE ACREDITA: Mostre apenas o tipo de trabalho que quer produzir. Seja seletivo, postando apenas o estilo em que realmente acredita. Projetos pessoais, com sua “cara”, é uma excelente forma de agradar o público.

9- ARRUME A ÁREA: Com o tempo, seus trabalhos vão se acumulando em seu portfólio, e organizá-lo acaba virando uma missão quase impossível. Uma solução criativa para esse problema é seu blog ter um template versátil, e que tenha um sistema conciso para nomear e descrever seus projetos. Quando terminar um trabalho, selecione apenas as melhores imagens dele para postar.

10- TENHA UM BLOG PARA EXPOR SEUS TRABALHOS: Um site com um blog regularmente atualizado pode fazer com que as pessoas voltem a visitá-lo. Dê um desafio a si mesmo: atualizar o blog todo dia por 100 dias. Pode parecer um trabalho difícil criar algo novo para postar a cada 24 horas, mas, depois disto, você vai se agradecer por ter feito isso. Afinal, terá 100 desenhos novos.

Sobre o autor

Author

administrador